CPI da Pandemia

CPI da Covid seguirá com trabalhos mesmo se houver recesso parlamentar, afirma Aziz

Presidente da comissão disse que 'não dá para tirar férias com pessoas sendo vítimas da Covid'. Constituição prevê recesso de 18 a 31 de julho.

06/07/2021 18h29
Por: Redação
Fonte: Redação

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), afirmou nesta terça-feira (6) que os trabalhos da comissão continuarão mesmo se houver recesso parlamentar.

Aziz deu a declaração enquanto a CPI ouvia o depoimento de Regina Célia Oliveira, servidora do Ministério da Saúde e fiscal do contrato de compra da Covaxin, vacina contra a Covid-19 produzida por um laboratório na Índia.

De acordo com a Constituição, o período de férias de meio de ano de deputados e senadores acontece entre 18 e 31 de julho. Estabelece, contudo, que a sessão legislativa (que corresponde a um ano de funcionamento do Congresso) não será interrompida sem a aprovação do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

O Congresso ainda não votou a LDO. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), já afirmou que a Casa seguirá com sessões em julho se a proposta não for analisada antes disso.

"Essa CPI não irá parar. Nós não iremos ter recesso. A CPI vai funcionar no recesso. Nós não temos o direito de tirar férias enquanto pessoas estão morrendo. Não temos esse direito e ninguém pode nos obrigar a esse direito. Temos a vida toda para tirar férias", declarou Omar Aziz nesta terça-feira (6).

Senadores que integram o grupo majoritário da CPI da Covid, do qual Omar Aziz faz parte, são contrários à paralisação das atividades no recesso.

De acordo com o colunista do G1 Valdo Cruz, o Palácio do Planalto, por outro lado, tem defendido a interrupção dos trabalhos da comissão no período.

Para Omar Aziz, a CPI não pode parar diante da "falta de espírito público" por parte de servidores que se reúnem em "restaurante para tratar de propina".

Essa declaração foi uma referência a um jantar em que, segundo o policial Luiz Paulo Dominguetti, o ex-diretor do Ministério da Saúde Roberto Dias pediu propina de US$ 1 por dose de vacina em troca da assinatura de um contrato. Dias nega ter pedido propina a Dominguetti.

 

Crítica a servidora

Também nesta terça, Omar Aziz criticou o fato de a servidora Regina Célia Oliveira ter tirado férias em meio às tratativas por compra de imunizantes.

"Vejo a senhora Regina Célia, que poderia ter feito esse relatório antes de tirar férias, mas esperou para tirar férias, enquanto a senhora estava de férias, enquanto nós estaríamos no recesso, estaria morrendo gente. Por isso a CPI irá continuar, em pleno recesso, nós iremos continuar trabalhando", declarou o presidente da comissão.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Salvador - BA
Atualizado às 21h50
23°
Muitas nuvens Máxima: 26° - Mínima: 20°
23°

Sensação

20 km/h

Vento

78%

Umidade

Fonte: Climatempo
Municípios
Últimas notícias
Mais lidas